Produção de petróleo no Brasil fica em 2,11 mi de bpd em agosto

Produção de gás natural no Brasil, excluído o volume liquefeito, também se manteve estável em relação ao mês anterior

Petróleo contrabandeado pelo EI na Síria

Petróleo: produção de barris no país se manteve estável em agosto (foto/Reuters)

São Paulo – A Petrobras informou nesta sexta-feira, 15, que a produção total de petróleo e gás natural, em agosto, foi de 2,72 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed), sendo 2,61 milhões boed produzidos no Brasil e 107 mil boed no exterior.

A produção média de petróleo no país foi de 2,11 milhões de barris por dia (bpd), em linha com o volume de julho.

A produção de gás natural no Brasil, excluído o volume liquefeito, também se manteve estável em relação ao mês anterior, com 79,9 milhões de m3/d.

De acordo com comunicado, o aproveitamento do gás produzido nas plataformas operadas pela Petrobras atingiu a marca de 96,8%, representando um novo recorde mensal.

Pré-sal

Em agosto, a produção de petróleo e gás natural operada pela Petrobras (parcela própria e dos parceiros), na camada pré-sal, foi de 1,57 milhão de boed, volume 2,5% abaixo do mês anterior. Esse resultado se deve, principalmente, às paradas programadas dos FPSOs Cidade de Maricá e Cidade de Itaguaí, ambos instalados no campo de Lula, no pré-sal da Bacia de Santos.

Produção de óleo e gás no exterior

Em agosto, a produção de petróleo nos campos do exterior foi de 62 mil bpd, volume 4,9% abaixo do mês anterior. A produção de gás natural foi de 7,8 milhões de m3/d, 7,2% abaixo do volume produzido em julho de 2017. Esse desempenho resultou, principalmente, do fechamento de poços em campos produtores nos EUA durante a passagem do furacão Harvey.

Fonte: Exame

Produção de gás natural no Brasil, excluído o volume liquefeito, também se manteve estável em relação ao mês anterior

Petróleo contrabandeado pelo EI na Síria

Petróleo: produção de barris no país se manteve estável em agosto (foto/Reuters)

São Paulo – A Petrobras informou nesta sexta-feira, 15, que a produção total de petróleo e gás natural, em agosto, foi de 2,72 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed), sendo 2,61 milhões boed produzidos no Brasil e 107 mil boed no exterior.

A produção média de petróleo no país foi de 2,11 milhões de barris por dia (bpd), em linha com o volume de julho.

A produção de gás natural no Brasil, excluído o volume liquefeito, também se manteve estável em relação ao mês anterior, com 79,9 milhões de m3/d.

De acordo com comunicado, o aproveitamento do gás produzido nas plataformas operadas pela Petrobras atingiu a marca de 96,8%, representando um novo recorde mensal.

Pré-sal

Em agosto, a produção de petróleo e gás natural operada pela Petrobras (parcela própria e dos parceiros), na camada pré-sal, foi de 1,57 milhão de boed, volume 2,5% abaixo do mês anterior. Esse resultado se deve, principalmente, às paradas programadas dos FPSOs Cidade de Maricá e Cidade de Itaguaí, ambos instalados no campo de Lula, no pré-sal da Bacia de Santos.

Produção de óleo e gás no exterior

Em agosto, a produção de petróleo nos campos do exterior foi de 62 mil bpd, volume 4,9% abaixo do mês anterior. A produção de gás natural foi de 7,8 milhões de m3/d, 7,2% abaixo do volume produzido em julho de 2017. Esse desempenho resultou, principalmente, do fechamento de poços em campos produtores nos EUA durante a passagem do furacão Harvey.

Fonte: Exame

Os Futuros do Gás Natural subiram durante a sessão dos Estados Unidos

© Reuters.  Os Futuros do Gás Natural subiram durante a sessão dos Estados Unidos
© Reuters. Os Futuros do Gás Natural subiram durante a sessão dos Estados Unidos
Investing.com – Os Futuros do Gás Natural subiram durante a sessão dos Estados Unidos na quarta-feira.

 

Na Bolsa Mercantil de Nova York, Os Futuros do Gás Natural em Outubro foram negociados na entrega a US$ 3,069 por milhões de unidades térmicas Britânicas no momento da escrita, subindo 2,27%.

Anteriormente negociadas na alta da sessão a US$ por milhões de unidades térmicas Britânicas. O Gás Natural estava propenso a encontrar apoio em US$ 2,885 e resistência em US$ 3,066.

O Índice Dólar Futuros, que acompanha o desempenho do dólar norte-americano em comparação com a cesta das seis principais moedas, registrou ganhos 0,61% para negociação a US$ 92,45.

Em outra parte da Nymex, O Petróleo para entrega em Outubro registrou ganhos 2,16% para negociação a US$ 49,27 por barril enquanto O Óleo para entrega em Outubro registrou ganhos 1,64% para negociação a US$ 1,7692 por galão.

Fonte: Investing.com

ECONOMIA ANP atualiza regras sobre produção em blocos de petróleo e gás

Resolução regula procedimentos para individualização da produção em blocos de petróleo e gás natural

plataforma de petróleo

Petróleo: resolução regula procedimentos para individualização da produção em blocos de petróleo e gás natural (wanfahmy/Thinkstock)

São Paulo – A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) publicou nesta sexta-feira uma atualização da resolução que regula procedimentos para individualização da produção em blocos de petróleo e gás natural quando as jazidas se estendem para além de um bloco concedido ou contratado, um processo conhecido no setor como “unitização”.

Fonte: Exame

Com produção de gás, Bacia de Santos supera Campos pela 1ª vez

Produção de Santos ultrapassou em julho à de Campos, historicamente a principal bacia produtora do Brasil que completa 40 anos em 2017

Plataforma da Petrobras na Bacia de Santos

Bacia de Santos: contando também a produção de gás natural, que atingiu um recorde no Brasil em julho, Santos passa a ser protagonista na indústria petrolífera (Mário Rofrigues/VEJA São Paulo/VEJA.com)

São Paulo – A produção de petróleo e gás da Bacia de Santos superou a da Bacia de Campos pela primeira vez em julho, atingindo em média 1,522 milhão de barris de óleo equivalente ao dia (boe/d), de acordo com dados publicados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) nesta segunda-feira.

Em junho, a produção de Santos já havia se aproximado à de Campos, historicamente a principal bacia produtora do Brasil que completa 40 anos em 2017, em meio ao crescimento da extração no pré-sal. Campos produziu, ao todo, 1,427 milhão de boe/dia em julho.

Considerando somente a produção de petróleo, Campos ainda lidera a extração no país, com 1,285 milhão de barris ao dia, ante 1,173 milhão de barris/dia em média de Santos. Essa situação, porém, deve ser invertida ainda este ano, disseram à Reuters especialistas, ao final do mês passado.

Contando também a produção de gás natural, que atingiu um recorde no Brasil em julho, Santos passa a ser protagonista na indústria petrolífera, após o pré-sal ter superado o pós-sal em junho no país, também pela primeira vez.

A produção de gás da Bacia de Santos somou 55,378 milhões de metros cúbicos por dia em média em julho, ou quase a metade do total produzido no Brasil, ante 22,563 milhões de metros cúbicos registrados em Campos.

O Brasil produziu em julho 115 milhões de metros cúbicos por dia (m3/d) de gás, superando os 111,8 milhões de metros de dezembro de 2016, a marca histórica anterior.

O volume produzido em julho representou um aumento de 3,5 por cento em relação ao mês anterior e de 7,3 por cento em relação a julho de 2016.

Petróleo

A produção de petróleo no Brasil em julho somou 2,623 milhões de barris por dia, informou ANP nesta segunda-feira, o que representa queda de 1,9 por cento na comparação com junho, mas expansão de 1,5 por cento ante julho do ano passado.

“A redução em relação a junho se deve, principalmente, à parada programada da plataforma P-58, que opera na área denominada ‘Parque das Baleias’ (áreas de desenvolvimento de Jubarte, Baleia Azul, Baleia Franca e Baleia Anã)”, disse a ANP.

A produção total de petróleo e gás natural no país foi de aproximadamente 3,346 milhões de barris de óleo equivalente por dia, ante 3,374 milhões em junho.

Já a produção do pré-sal em julho totalizou aproximadamente 1,613 milhão de barris de óleo equivalente por dia, uma redução de 4,3 por cento em relação ao mês anterior. Oriunda de 80 poços, a extração de petróleo na área somou 1,293 milhão de barris de petróleo por dia, enquanto a de gás natural atingiu 51 milhões de metros cúbicos por dia.

A produção do pré-sal correspondeu a 48,2 por cento do total produzido no Brasil, segundo a agência.

Fonte: Exame

NEGÓCIOS Justiça desobriga Petrobras de fornecer gás à termelétrica da J&F

O juiz revogou, nesta sexta-feira, liminar que obrigava a estatal a restabelecer o fornecimento de gás para a termelétrica administrada pela Âmbar Energia

Logo da petroleira estatal brasileira Petrobras é visto em tanque de Cubatão, no Brasil

Petrobras: o juiz considerou que não há razões de urgência apontadas no processo pela Âmbar (Paulo Whitaker/Reuters)

A Justiça desobrigou a Petrobras de fornecer gás natural a uma termelétrica do grupo J&F, em Cuiabá. A decisão é do juiz Luiz Eduardo Castro Neves, da 21ª Vara Cível da Capital. Ele revogou, nesta sexta-feira (1º), liminar que obrigava a estatal a restabelecer o fornecimento de gás para a termelétrica administrada pela Âmbar Energia, do grupo J&F.

O juiz considerou que não há razões de urgência apontadas no processo pela Âmbar e considerou que, passados três meses desde a rescisão do contrato de fornecimento, não houve apagão no Mato Grosso ou em outro estado do país.

Castro Neves acrescentou que a transmissão de energia no país é feita de forma integrada e há possibilidade de abastecimento por outras formas, o que afasta o risco de desabastecimento.

Procurada, por meio de sua assessoria, a J&F informou que não ia comentar a decisão judicial.

Fonte: Exame

Os Futuros do Gás Natural subiram durante a sessão dos Estados Unidos

Os Futuros do Gás Natural subiram durante a sessão dos Estados Unidos

© Reuters.  Os Futuros do Gás Natural subiram durante a sessão dos Estados Unidos
© Reuters. Os Futuros do Gás Natural subiram durante a sessão dos Estados Unidos
Investing.com – Os Futuros do Gás Natural subiram durante a sessão dos Estados Unidos na terça-feira.

 

Na Bolsa Mercantil de Nova York, Os Futuros do Gás Natural em Outubro foram negociados na entrega a US$ 2,987 por milhões de unidades térmicas Britânicas no momento da escrita, subindo 0,88%.

Anteriormente negociadas na alta da sessão a US$ por milhões de unidades térmicas Britânicas. O Gás Natural estava propenso a encontrar apoio em US$ 2,849 e resistência em US$ 2,991.

O Índice Dólar Futuros, que acompanha o desempenho do dólar norte-americano em comparação com a cesta das seis principais moedas, registrou ganhos 0,00% para negociação a US$ 92,17.

Em outra parte da Nymex, O Petróleo para entrega em Outubro registrou perdas 0,58% para negociação a US$ 46,30 por barril enquanto O Óleo para entrega em Outubro registrou ganhos 0,77% para negociação a US$ 1,6435 por galão.

Fonte: Investing.com

Os Futuros do Gás Natural subiram durante a sessão dos Estados Unidos

Os Futuros do Gás Natural subiram durante a sessão dos Estados Unidos

Commodities18 horas atrás (28.08.2017 15:10)
Os Futuros do Gás Natural subiram durante a sessão dos Estados Unidos
Os Futuros do Gás Natural subiram durante a sessão dos Estados Unidos
Investing.com – Os Futuros do Gás Natural subiram durante a sessão dos Estados Unidos na segunda-feira.
Na Bolsa Mercantil de Nova York, Os Futuros do Gás Natural em Outubro foram negociados na entrega a US$ 2,950 por milhões de unidades térmicas Britânicas no momento da escrita, subindo 0,89%.

 

Anteriormente negociadas na alta da sessão a US$ por milhões de unidades térmicas Britânicas. O Gás Natural estava propenso a encontrar apoio em US$ 2,881 e resistência em US$ 2,998.

O Índice Dólar Futuros, que acompanha o desempenho do dólar norte-americano em comparação com a cesta das seis principais moedas, registrou perdas 0,36% para negociação a US$ 92,14.

Em outra parte da Nymex, O Petróleo para entrega em Outubro registrou perdas 3,15% para negociação a US$ 46,36 por barril enquanto O Óleo para entrega em Outubro registrou perdas 0,23% para negociação a US$ 1,6276 por galão.

Fonte: Investing.com

Petrobras reajustará preço do GLP industrial entre 6,3% e 6,9%

Com o aumento, o Sindigás calcula que o valor do produto destinado a embalagens maiores que 13 quilos ficará 39,2% acima da paridade de importação

Comércio varejista de gás liqüefeito de petróleo (GLP)

GLP: o aumento de preço será entre 6,3% a 6,9% (Damien Meyer/AFP)

Rio – O Sindigás informou que suas empresas associadas foram comunicadas nesta terça-feira, à tarde, pela Petrobras sobre o reajuste do preço do GLP industrial (para embalagens acima de 13 quilos), válido a partir da 0h da quarta-feira, dia 16 de agosto, nas unidades da petroleira.

De acordo com as informações que as distribuidoras receberam da Petrobras, o aumento de preço será entre 6,3% a 6,9%, dependendo do polo de suprimento.

Em nota, o Sindigás diz que o aumento do GLP para embalagens que atendem o comércio e a indústria é preocupante, pois afasta ainda mais o preço interno dos valores praticados no mercado internacional, impactando justamente setores que precisam reduzir custos.

Com o aumento de preços, a contar a partir de amanhã, o Sindigás calcula que o valor do produto destinado a embalagens maiores que 13 quilos ficará 39,2% acima da paridade de importação.

Fonte: Exame

ANP aprova mais 7 inscritos para 14ª rodada de petróleo e gás

© Reuters.  ANP aprova mais 7 inscritos para 14ª rodada de petróleo e gás
© Reuters. ANP aprova mais 7 inscritos para 14ª rodada de petróleo e gás

SÃO PAULO (Reuters) – A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) aprovou nesta quarta-feira a inscrição de mais sete empresas para a 14ª Rodada de Licitações de petróleo e gás, prevista para o próximo mês.

Dessas, quatro são de origem estrangeira –Capricorn Brasil Petróleo e Gás (Índia), Gran Tierra Energy Brasil (Canadá), Rosneft Brasil E&P (Rússia) e Tek Óleo e Gás (China)– e três brasileiras, afirmou o regulador de mercado.

Duas ainda não possuem contrato para exploração e produção de petróleo e gás natural no Brasil: Bertek e Capricorn.

Considerando-se as 21 empresas aprovadas nas reuniões da Comissão Especial de Licitação (CEL) da reguladora do setor de petróleo realizadas anteriormente, o total de inscritas até agora é de 28 empresas.

Na próxima e última reunião da comissão, no dia 25 de agosto, serão avaliadas outras solicitações de inscrição. Ao todo, 36 empresas preencheram o formulário de inscrição para participação na rodada.

A 14ª Rodada de Licitações será realizada no dia 27 de setembro, no Rio de Janeiro.

Companhias como Petrobras (SA:PETR4), Shell, Exxon Mobil (NYSE:XOM), BP e Repsol (MC:REP) já tinham sido aprovadas. Veja abaixo a relação completa.

Empresas aprovadas: 1) ALVOPETRO S/A EXTRACAO DE PETROLEO E GAS NATURAL – Brasil 2) BERTEK PRODUTOS, SERVICOS E MINERACAO LTDA – Brasil* 3) CAPRICORN BRASIL PETROLEO E GAS LTDA. – Índia* 4) GRAN TIERRA ENERGY BRASIL LTDA – Canadá 5) PARNAIBA GAS NATURAL S.A. – Brasil 6) ROSNEFT BRASIL E&P LTDA – Rússia 7) TEK ÓLEO E GÁS LTDA. – China 8) CNOOC PETROLEUM BRASIL LTDA. – China 9) GREAT ENERGY S.A – Brasil 10) IMETAME ENERGIA LTDA. – Brasil 11) MURPHY EXPLORATION & PRODUCTION COMPANY – Estados Unidos* 12) PETRO-VICTORY ENERGIA LTDA. – Brasil* 13) PHOENIX EMPREENDIMENTOS LTDA. – Brasil 14) QUEIROZ GALVAO EXPLORACAO E PRODUCAO S.A. – Brasil 15) BP ENERGY DO BRASIL LTDA. – Reino Unido 16) DEA DEUTSCHE ERDOEL AG – Alemanha* 17) EXXONMOBIL EXPLORAÇÃO BRASIL LTDA. – Estados Unidos 18) GEOPARK BRASIL EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS LTDA. – Bermudas 19) KAROON PETRÓLEO E GÁS LTDA. – Austrália 20) MUNCKS & REBOQUES BRASIL LTDA. – Brasil 21) PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. – PETROBRAS – Brasil 22) PETRONAS CARIGALI SDN BHD – Malásia* 23) PTTEP BRASIL INVESTIMENTOS EM EXPLORACAO E PRODUCAO DE PETRÓLEO E GÁS LTDA. – Tailândia 24) REPSOL EXPLORACIÓN S/A – Espanha 25) SHELL BRASIL PETRÓLEO LTDA. – Reino Unido 26) TOTAL E&P DO BRASIL LTDA. – França 27) VIPETRO PETRÓLEO S.A – Brasil 28) WINTERSHALL DO BRASIL SERVIÇOS LTDA. – Alemanha*

Fonte: Investing.com